O Juramento - Capítulo Vinte e Dois

Precisamos conversar. -Ele disse. E pela sua expressão, tive certeza de que não iria gostar de ouvir. "



- Sobre o quê ? - Perguntei, com medo.
- Sobre nós. - Era o que temia.
Me aproximei e sentei ao seu lado. Fui me aninhar em seus braços, mas ele se afastou. Pegou a cadeira da penteadeira e a colocou de frente para mim, e se sentou. 
- Você está me assustando, fala logo. - Pedi.
Ele deu um sorriso triste, que me partiu.
- Se fosse fácil... Serena, nós não ... não... não podemos mais ficar juntos. Nunca mais.
Doeu. Doeu muito. Se ele tivesse enfiado uma faca em mim, doeria menos.
- Como .. assim ?

Ele endureceu a voz.
- Acabou.
Senti um nó se formando na garganta.
- Por que ?
- Só saiba que é para o seu próprio bem. Você ficará melhor sem mim.
- Eu sempre vou ficar melhor ao seu lado.
- Não, não vai.
Eu não queria, mas senti as lágrimas arderem nos meus olhos. Não consegui mais segurar, e elas caíram. Ele se levantou e começou a andar pelo quarto. Estava nervoso. 
- Como você pode chorar por algo que nunca foi real ? - Perguntou com a voz fria e dura.
Foi minha vez de levantar.
- O que quer dizer com isso ?
- Serena, minha querida, nada do que aconteceu entre nós foi real.
As lágrimas vinham cada vez com mais força.
- Como pode dizer isto ? Claro que foi real !
- Só para você, então.
- Me disseram que você quebraria o meu coração. Que depois que conseguisse o que quer tudo iria acabar. Que eu não significava nada para você. Que você é mulherengo e logo estaria com outra. Que eu precisava me manter afastada e não me iludir. Agora, eu preciso saber se tudo era verdade.
- Ótimo conselho que te deram. Devia escutar mais os outros.
Antes que eu pudesse fazer qualquer coisa, ele se foi. Fechando a porta com força. 
Me deixou ali. Sozinha. Deitei na cama, pois minhas pernas bambearam. Tudo o que sentia  era horrível e doía muito. Ele praticamente arrancou meu coração. Nunca pensei que sentiria essa dor tão cedo. Sempre achei que as garotas exageravam demais quando terminavam um namoro, mas nunca soube a dor de um coração partido. Namoro ? Como pude pensar nisso ! Para Harry, aquilo não foi nada além de dois beijos. E pode ser que nem tenha gostado ! 
" Nunca foi real " 
Essa frase ficará cravada lá no fundo. Nunca as esquecerei.
Para mim, foi real. Muito real. Tudo o que senti.
Ali estava eu, chorando por algo que nunca tive.

Depois de alguns minutos, a campainha tocou. Esperei que Harry ou Chelsea fossem abrir a porta. Ela continuou tocando. Limpei as lágrimas e saí do quarto. Ninguém em casa. Fui até a porta e ao abri-la, Matthew deu um sorriso largo.
- Oi princesa. - Ele segurou o batente da porta, se apoiando.
- Oi. 
Ele fez um biquinho e perguntou:
- Te machucaram muito ? - Ele estava debochando de mim.
- Como você soube ? - Perguntei, desconfiada.
- Fofocas se espalham. - Disse, dando de ombros.
- Essa não é qualquer fofoca.
Ele se aproximou e disse:
- Deixa de ser chata. - Como seu rosto estava próximo, senti seu hálito. Ele estava bêbado.
- Você andou bebendo ?
Ele cruzou os dedos de maneira debochada.
- Não. Eu juro.
Meu dia foi de longe o pior de todos. E tinha um bêbado na minha porta para completar a noite.
- É melhor você ir embora.
Fui fechar a porta, mas ele a empurrou com força. Ele estava mais bravo.
- Eu não terminei.
- Acabe logo com isso.
- Me lembrei de que você não comentou mais sobre a viagem.
- Não estou com cabeça para isso.
- Parece que você não gostou muito da ideia.
- Na verdade, acho melhor eu não ir.
Seus olhos permaneceram fixos no meu por algum tempo.
- Você tem medo de mim ?
Olhei para meus pés, não sustentando seu olhar.
- Não. E você precisa ir.
Tentei fechar a porta novamente, mas Matthew me pegou pelos ombros e me prensou no pilar da varanda.
- O que preciso fazer para você acreditar que gosto de você ?
Tão próximo que ele estava, conseguia sentir seu cheiro. Cheiro de álcool. Ele me olhava profundamente nos olhos.
- Sério Matthew, melhor você ir. Amanhã estará melhor e conversamos.
- Eu posso ser melhor que ele.
Ele me segurava muito forte pelo ombro, com certeza deixaria marcas. Ele se aproximou e seus lábios estavam quase tocando no meu. Tentava me soltar, mas ele era muito mais forte.
- Matthew, por favor. Me solta. Você está bêbado. - Disse, entre os lábios dele.
- Solta a garota ! Agora ! - Esbravejou Harry da escada.
Matthew se virou e riu secamente, mas sem achar graça.
- O príncipe no cavalo branco.
Em um piscar de olhos, Harry já estava cara a cara com Matthew.
- Espero não precisar brigar com você bêbado.
- Eu não me importo.
- O que está acontecendo ?
Me virei e Chelsea estava no primeiro degrau da varanda, observando a rixa.
- Vejo você depois, princesa. - Disse Matthew, assim que percebeu Chelsea. E saiu.
Chelsea, segurando os sapatos na mão, subiu para seu quarto. 
Harry me lançou um olhar frio e disse:
- É melhor aprender a se cuidar sozinha. Não vou mais te dar aulas de luta.
Ele estava cortando todo o tipo de contato comigo.



5 comentários :

Manu Ribello disse... Responder

:'((( é... Acho qur vai demorar um pouco "pra eles se amarem forever".
CONTINUA. RAPIDÃO. Pula pra parte que eles ficam juntos tem dois filhos, um cachorro e um papagaio chamado tobyas. :D
Flw, bjao

Joyce Rayane Dos Santos Silva disse... Responder

Aaaaaaaaah Poxa não faz isso com a coitada, faz eles ficar junto logo, to amando a fic e amo vc tbm ♥♥♥♥ continua logooooo ♥ ♥

Letícia Santana Martins de Paula disse... Responder

Ai meu coraçao tá despedaçado, pq o Harry fez isso??
Já falei e falo denovo, eu voto por capítulos maiores, esses caps pequenos estao me matando de ansiedade!!
Letícia M.

Bibi Abdalla disse... Responder

Aaaaaa tava tao fofo! Hahahah ameiiiiii continua logo quero ver como o Harry vai desamarrar esse burro kkkk

Nicole M. disse... Responder

Muito obrigada amores <33

Postar um comentário