Truly, Madly, Deeply Capitulo 58 - O que você quer que eu faça?






Narrador P.O.V's


Niall: E por que não deixa a Nancy casar com quem ela ama?
Sr. Johnson: Não se pode confiar em todo mundo.
Niall: E você confia em todo mundo que acha na rua?
Sr. Johnson: Depois de conhecer sua família, descobri que você era confiável – olhou a paisagem da janela.
Niall: E não podia confiar no namorado dela? E só quer ser feliz, uma família, ela esta apaixonada!
Sr. Johnson: Aceite então, por ela – olhou para Niall.

O corpo de Niall paralisou, ele não podia de jeito nenhum se casar com Nancy, mesmo sabendo que depois de toda essa confusão ele poderia ser feliz, mas com certeza Angel nunca iria aceita–ló de volta. A mão de Niall suava e sua pele estava pálida, ele não sabia como falar não a Frank.
Sr. Johnson: Niall – chamou a atenção dele
Niall: Sr. Johnson eu... eu não posso aceitar isso
Sr. Johnson: A única coisa que posso fazer é adiar alguns meses
Niall: Como assim adiar? – perguntou desesperado
Frank foi até a sua mesa, abriu uma gaveta que tinha ali e tirou um papel, na verdade um documento, o documento que Niall havia assinado.
Sr. Johnson: Leia esse contrato e depois venha me disser o que fazer – entregou o contrato e apontou para a porta

Niall pegou o contrato e sai da sala, ele foi até o quarto de Nancy e deu duas batidas na porta.
Niall: Nancy abre a porta – sussurrou
Niall ouviu os passos de Nancy e logo a porta foi aberta
Nancy: O que aconteceu? – seus olhos estavam inchados, ela estava chorando, mas tinha um pouco de esperança sobre seu pai
Niall: Ele disse que o único jeito seria nos casarmos – falou cabisbaixo
Nancy olhou abismada para Niall, a sua boca abria várias vezes, mas nada de lá saia. Ela não conseguia acreditar que seu pai falou aquilo, ela estava sem chão, se sentia fraca, sem proteção
Nancy: Como ele pôde fazer isso? – as lágrimas voltaram a cair de seus olhos
Niall: Nancy, essa seria o único jeito de nos livrar desse contrato maldito, – segurou os braços de Nancy – mas eu não quero fazer isso de jeito nenhum
Nancy: Niall eu sei que você quer ser feliz, casar-se , ter uma família com a Angel, mas precisamos fazer isso...
Niall: Como você sabe da Angel? – soltou os braços de Nancy
Nancy: Eu fui tirar minhas conclusões
Niall: Você falou com ela?
Nancy: Sim
Niall: Então isso tudo é culpa sua!
Nancy: Minha culpa?!
Niall: Eu tinha um plano em mente, ia falar tudo pra Angel e você poderia viver feliz com o seu namorado
Nancy: Eu não sei qual seria o seu plano maluco, mas mesmo assim não daria certo!
Niall respirou fundo, ela estava certa, o seu plano era bobo e infantil.
Niall: Você tem razão – passou as mãos no rosto
Nancy: Então... Você aceita se casar comigo? – estendeu a mão a Niall
Niall: Aceito, pela Angel – apertou a mão de Nancy

Angel P.O.V's

Esse deveria ser o sexto pote de sorvete que eu devoro, esses filmes não ajudam a ninguém, esses filmes melancólicos e clichês, de onde essas pessoas tiram a ideia de que adolescentes são assim? Levantei–me do sofá e subi até meu quarto, um dia de sol é um pouco raro, principalmente no inverno rigoroso de Londres. Vesti–me uma calça vermelha de não usava a anos, uma camisa branca com mangas e um desenho que não conseguia decifrar, e um tênis branco. Desci, peguei o telefone e disquei o número de Harry, eu não posso ficar em casa chorando, me entupindo de sorvete e assistindo filmes sem graça enquanto tenho um namorado lindo e simpático.
– Alô?
Eu: Harry? É a Angel – sorri
– Oi amor, tudo bem?
Um sorriso involuntário surgiu em meu rosto
Eu: Tudo bem, e você?
– Ah, eu estou bem
Eu: O que o garoto de cachinhos esta fazendo?
Ouvi sua risada do outro lado da linha
– Nada, você quer sair? Tomar um sorvete sei lá, tá um dia tão lindo!
Eu: Eu iria fazer a mesma pergunta
– Então parece que temos um encontro!
Sorri
Eu: Parece que sim
– Que tal eu passar na sua casa?
Eu: Parece ótimo
– Estou indo! Até daqui há vinte minutos
Eu: Até
Desliguei o telefone e botei em cima da bancada da cozinha, joguei–me no sofá e assisti um pouco, mas, videoclipes nada de filme melancólicos.
Parece que meus pais me abandonam cada dia mais, eles não param em casa, mesmo tento trabalho de meio período, eles só voltam a noite. Quem sabe o que eles estão fazendo hein? Só Deus!
Depois de alguns minutos assistindo e lutando pra não dormir, eu ouvi duas batidas na porta, deduzir ser Harry, mas estava tão cedo, a casa dele fica a quilômetros daqui, como chegou tão rápido? Levantei– me do sofá e fui até a porta, abri a mesma, e logo a fechei, mas o pé do idiota me impediu
Eu: Será que você não me deixa em paz?!
Niall: Eu disse que precisamos conversar!
Eu: Não temos nada pra conversar, Niall me deixa em paz, eu quero esquecer que você existe!
Niall: Por favor me escuta
Eu: Toda vez que eu falo com você eu choro idiota! – eu não deveria ter falado isso
Niall: Eu não queria fazer você chorar – pegou meu braço
Eu: Você espera que eu fique feliz? Rindo? – puxei meu braço
Niall: Não precisa chorar por mim
Eu: Você é um idiota! – bati em seu ombro – Por que você não vai embora e me deixa aqui sofrendo por você filho da mãe? Você sabe que eu te amo imbecil! – empurrei seu peito – Niall você é um completo idiota! Eu só quero viver em paz, tentar ser feliz pelo menos um dia nessa merda de vida.
Niall: Angel, eu só quero ser feliz com você... – segurou meu braço
Eu: Me larga! – gritei
Niall: Angel! – segurou os meus ombros me obrigando a encarar seu rosto que agora me dava ânsia de vômito – eu te amo – aproximou seu lábio do meu mas eu desviei o meu rosto
Eu: Me larga idiota! – me sacudi pra tentar sair dos braços de Niall
Niall: Me escuta caralho!
Arregalei meus olhos, me sacudi o bastaste para me soltar de seus braços e dar um tapa nele
Eu: Não me chama de caralho filho da puta!
Niall agarrou meus braços de novo
Eu: Puta que pariu você é um saco, me deixa em paz!
Niall: Eu.Te.Amo.Caralho – disse pausadamente, ele me segurou de um jeito onde eu pude ver a sua bochecha mais vermelha do que já era, ele se aproximou e eu pude ouvir a minha própria respiração acelerada
Eu: Que porra você tem?
Niall: Uma magia que só funciona com você – mordeu o lábio inferior
Eu: Para com isso filho da mãe – fechei os olhos e respirei fundo para abri–lós novamente
Niall: Eu sinto sua falta – disse perto do meu ouvido, o que me fez ter arrepios
Eu: Niall para – me segurei pra que não deixar um gemido escapar de minha boca
Niall: Eu adoro quando você fica desse jeito – mordeu o lóbulo da minha orelha, foi inevitável não sair nenhum gemido – eu também adoro quando você faz isso
Eu: Para com isso – disse sem forças
Niall me encarou por alguns milésimos, em um piscar de olhos eu já estava encostada na porta e sendo beijada por Niall. Eu era uma idiota, mas se eu quisesse realmente mudar, por que não ser aquela pessoa que não liga pra ninguém, apenas vive o momento? Eu seria essa pelo menos por míseros minutos. Eu queria ser essa pessoa, mas isso seria muita idiotice de minha parte.
As mãos de Niall passavam por toda a extensão do meu corpo, até que suas mãos pararam em minha coxa, apertando–as. Ele me levantou e eu cruzei as pernas em sua cintura sem parar o beijo, abri o meu olho por alguns segundos e vi que estávamos subindo as escadas. Senti minhas costas baterem em algo solido, era a porta que Niall abriu rapidamente. Eu sai de seu colo e colei nossos corpos mais ainda, Niall desceu o beijo para o meu pescoço e logo me jogou na cama, eu puxei ele para cima de mim e tirei sua camisa, Niall não perdeu tempo e fez a mesma coisa, tirou a minha camiseta. Fiquei em cima de Niall, beijei seu pescoço e fiz alguns machucados ali, o que fez Niall gemer. Ele logo mudou as posições, ficando por cima de mim, ele deu um beijo em meu pescoço e foi descendo para os meus seios, arranhei suas costas o que fez ele gemer alto. Empurrei-o de cima de mim e me levantei da cama, pegando minha camisa e vestindo a mesma. Niall me olhava confuso sentado na cama
Niall: Por que você fez isso?
Eu: Você pensa que eu sou burra, docinho? – apertei sua bochecha – Mas eu não sou
Fui até a porta
Niall: E você vai me deixar nessa condição? – virei e sorri ao ver Niall vestindo sua camisa todo atrapalhado
Eu: Eu só queria saber se você sente falta de verdade – disse sorrindo
Niall: Eu sinto caralho!
Eu: Eu já mandei você parar de me xingar filho da mãe!
Niall: Desculpa, é que você me deixa maluco – passou a mão no rosto
Eu: Eu tenho coisa mais importante pra fazer, então por que não vai ser feliz com a Nancy? Sai da minha casa e da minha vida.
Niall: Não dá pra ser feliz com a Nancy você sabe disso
Eu: Você não me contar, como espera que eu saiba? – tentei ser convincente
Sim, eu já estava sentindo uma falta enorme de Niall, mesmo Harry sendo uma das pessoas mais perfeita do mundo, eu não sentia a mesma coisa quando estava com ele. Eu só queria ouvir o lado de Niall e mesmo sendo impossível de perdoar eu o perdoaria, por que sou burra pra achar que Niall não faria aquilo de novo.
Niall: Eu tenho que me casar com ela – quê?!
Eu: O quê? Como assim, que porra é essa? Você quer que eu seja o que? Sua amante? Você me ama tanto que vai se casar com outra mulher?!
Niall: Angel se acalma me escuta – segurou meu rosto tentando me acalmar
Eu: Não tem como me acalmar! Eu ia perdoar você, mas assim não dá! Caralho! Você é um idiota, não...
Niall: Escuta-me – me interrompeu
Eu: Acho melhor você botar tudo pra fora – puxei um dos meus braços que Niall estaca segurando
Niall: Nancy já deve ter falado tudo pra você
Eu: Tipo: você ficou com ela por dinheiro?
Niall: Eu estava precisando do dinheiro
Eu: Pra isso que serve uma coisa chamada emprego!
Niall: Eu não sabia que chegaria a esse ponto
Eu: Niall você é maluco
Niall: Eu sei disso...
Eu: Ainda bem – cruzei os braços
Niall: Eu assinei um contrato – mexeu no bolso da calça e tirou de lá três ou mais folhas grampeadas e me entregou
Eu: Desde quando sou advogada? – Niall respirou fundo e guardou o papel
Niall: O tempo deixou você egoísta?
Eu: Não, foi você – Niall revirou os olhos – eu estou esperando o resto da história docinho – ironizei
Niall: O que o pai da Nancy realmente queria era uma garoto confiável pra namorar a Nancy, casar–se com ela e herdar toda a sua fortuna
Eu: Mas a herança ficaria com a Nancy
Niall: Pelo que parece, o Sr. Johnson assinou um contrato que passava a herança para o próximo homem da família
Eu: Que seria você?
Niall: Depois de me casar com ela, eu estaria livre do contrato, o Sr. Johnson passaria o dinheiro para Nancy e eu...
Eu: Bateria na minha porta? – Niall olhou pra baixo – Olha só o que o dinheiro faz com a pessoa, você acha isso certo
Niall: Não, nunca achei
Eu: Então por que diabos fez isso?
Niall: Eu sei lá, não pensei direito, minha vida já era uma merda o que mais poderia acontecer?
Eu: Eu entrar nela e acabar com tudo
Niall: A culpa não foi sua – pegou o meu rosto
Eu: Tem certeza, é tudo sua culpa! – afastei meu rosto
Niall: Você vai me ajudar?
Eu: Por que ajudaria? – cruzei os braços
Niall: Pensei que você me amasse!
Eu: Pensou errado querido!
Niall: Angel – me puxou para perto
Eu: Sai de perto de mim! – bati em seu peito, mas ele me abraço, argh!
Niall: Se me ajudar eu sou seu pra sempre – colocou o queixo em cima da minha cabeça

Suspirei fundo e olhei no fundo dos olhos de Niall e disse:
Eu: O que você quer que eu faça?
Olá pessoal o/
Como estão? Eu estou feliz ^^
Enganei vocês não foi? Haha, não se preocupem terá sim um capitulo hot antes de acabar!
Eu já fiz a sinopse e o primeiro capitulo da minha próxima fanfic, só ai deu de perceber que Truly, Madly, Deeply está acabando :(
Eu acho que irei postar logo a sinopse, o que acham?

2 comentários :

Joyce Rayane Dos Santos Silva disse... Responder

Continuaaaaaaa ansiosa para o próximo capítulo

Anônimo disse... Responder

Continuaa ta perfeito!!! :)

Postar um comentário