♕ Onde os solitários perambulam - Prólogo


               "Basta lembrar o que eu disse, porque isso ainda não acabou."
               Allison certamente estava com ódio de mim por tê-la mandado ir embora depois da notícia completamente devastadora que recebi. Não, a notícia não era devastadora, era um tanto maravilhosa, devo admitir. Não é todo homem que recebe a notícia de que dentro de poucos meses será eternamente pai. Eu era jovem, só tinha vinte e dois anos, como pude deixar isso acontecer? Eu não estava arrependido, com certeza eu não estava. Não estava na minha lista de desejos ser pai aos vinte e dois anos, mas também não estava na minha lista de ‘não desejos’ não ser pai. Eu queria ser, eu queria construir uma família, só que não agora.

               Alguns raios de sol iluminavam o meu quarto. Já era de manhã bem cedo, mas eu simplesmente não me importava em estar acordado assim tão cedo. Encarei o porta retratos ao meu lado e Xinguei-me por ter sido tão tolo. Como eu pude simplesmente deixar a garota que amo ir embora esperando um filho meu? Eu certamente era um louco, um imbecil! Sim, eu certamente era. Peguei o retrato e o joguei contra o chão. Eu não queria mais nenhuma lembrança dela, não agora quando eu não posso mais tê-la ao meu lado. Eu poderia ter quebrado o retrato de nós dois sorrindo um para o outro segurando um guarda-chuva e um pouco encharcados por conta da chuva que caía sobre as nossas cabeças. Ah, como eu sinto falta desse tempo! Dois adolescentes jurando um para o outro que nunca iriam se separar.

               Eu não deixaria aquela foto ir embora, não como ela foi. A peguei e guardei na gaveta da minha escrivaninha. Eu podia negar, mas eu queria pelo menos uma lembrança de nossos momentos juntos. Nesse exato momento ela já estaria chegando em sua mais nova casa no sul de Miami. Ela seguiria a sua vida lá, a sua vida sem mim. Peguei um casaco e decidi sair de casa, precisava ficar um tempo pensando no que seria de mim agora sem a minha linda Allison Bennet. Niall certamente me diria para poder seguir a minha vida com alguma outra garota, mas eu simplesmente não podia ir atrás de outra quando acabei de terminar um romance de quatorze meses. O que são quatorze medes? Um ano e dois meses, mas certamente seria muito mais que isso se eu não houvesse a deixado ir. O que Allison faria se estivesse sofrendo por eu ter ido embora? Pensei. Certamente ela iria tomar um ou dois copos de café. Talvez um copo de café faria bem para mim, mas também poderia fazer mal, já que café simplesmente me lembrava Allison.
               
               — Mocha, por favor! — Pedi.
               — Duas libras.

               Entreguei-lhe o dinheiro e sentei-me em algum lugar. O sol estava brilhando, mas isso não significava que seria uma noite um pouco calorenta e fresca, tinha algum risco de cair uma forte chuva. Como eu disse, tinha algum risco, e eu realmente espero que não chova, quero muito jogar um pouco de futebol com os meus amigos. Um casal adentrou a pequena cafeteria, logo lembrei-me de Alisson. Eu precisava esquecer essa garota! Não, eu não precisava, eu preciso esquecer Allison Bennet! A tal garota vestia uma blusa branca dos Ramones, bem parecida com uma que Allison usava quando jogamos ovos no carro de... Não, não quero lembrar-me disso, foi o dia em que fomos presos pela primeira vez. Não posso lembrar disso. Eu não quero lembrar disso.

               — Cara, você está horrível! — Agradeci por ouvir a voz de Liam, eu precisava falar com alguém.
               — O que posso fazer, Liam? Até onde eu sei não é a sua namorada que foi embora.
               — Ela não era a sua namorada. — Liam sentou-se na cadeira em minha frente. — Era uma diversão.
               — E quem foi que disse isso?
               — Ah, deixa eu ver... Você! — Payne deu um meio sorriso e levantou as sobrancelhas. — E na cara dela.
               — Nem me lembre disso. Não é todo mundo que está na balada e de repente chega a sua namorada com a maquiagem preta completamente borrada e diz com as seguintes palavras: Eu estou grávida!
               — Você deveria ter ficado feliz.
               — Eu estou feliz!
               — Não parece.
               — Ela deveria estar aqui para compartilhar a felicidade comigo.
               — E estaria se você não tivesse dito: E daí? Eu não ligo!
               — Da próxima vez que eu disser isso pode dar um tapa na minha cara.
               — Só não quebra a minha cara depois. — Fiz uma careta.
               — Ela disse alguma coisa? — Perguntei. A mulher trouxe meu café no qual achei que demorou muito para poder vir e deu uma piscadela para mim. Não estou interessado, foi o que eu disse. Ela deve ter ficado muito brava pois saiu de perto bufando e batendo o salto irritante no chão. Allison não usava saltos, ela se contentava muito bem com seu tênis ou até mesmo uma rasteirinha.
               — Ela vai cuidar da criança. E por ela, diria que você está morto quando perguntarem por você. 

               As minhas suspeitas de que Allison estava com muito ódio de mim foram finalmente respondidas por um sim. Ela tinha todo o direito de estar zangada, afinal, eu disse que não iria assumir a paternidade daquela criança, nunca, nem em um milhão de anos. Molhei os lábios com a língua e abaixei a cabeça, eu queria muito ver aquela criança nascer. Ouvi boatos de que Allison fora expulsa de casa, e que estava indo para Miami morar com a tia no qual a maltratava quando era criança. Eles iriam sofrer, e a culpa era totalmente minha por não ter tido responsabilidade. Por eu não ter sido homem o suficiente para poder aceitar que fui descuidado quando dormi com Allison. Eu iria atrás dela, querendo ela ou não.
CONTINUA!
 ei! O prólogo foi postado muito antes do que eu previa, já que terça-feira terei uma apresentação na principal praça da cidade que eu moro e os demais dias serão cheios de agonia e nervosismo para saber a minha nota de matemática. Assim como também ficarei escrevendo uma outra fanfic para ganhar uma aposta que fiz. 
Vou terminar de escrever o capítulo um agora, e postarei na quarta ou deixarei programado para terça.
Espero que gostem da fanfic daqui em diante!

Contínuo com 5 comentários

4 comentários :

Aninha disse... Responder

Amei o prólogo , to esperando ansiosa para o primeiro capítulo!!!!

Lady Sweetie ♥x disse... Responder

Ahhhh Sté, perfeito como sempre. Continua <3

Lolly Niall disse... Responder

Desde que li a minha frase dessa fanfic lá no fichário de respostas do concurso eu a amei e tenho certeza todo mundo do blog vai amar!!
Continua!!
Vc conseguiu algo incrível, me fazer ler uma fanfic em um blog, eu odeio ler em blogs kkkkk
Kissus da futura MRS.HORAN

Larii Malik disse... Responder

ta ficando perfeito , continue flor <3 ameiii *--*

Postar um comentário