Truly, Madly, Deeply Capítulo 77 - Está na hora

 
– Niall P.O.V's
As luzes frias, pessoas desesperadas e uma maca chegando a cada hora: esta era a sala de espera. Tyler andava de um lado para o outro, Jess chorava na recepção pedindo alguma informação, enquanto eu não tinha mais força para chorar, para me mover, para absolutamente nada. Meus pensamentos estavam conturbados, não conseguia pensar em outra coisa a não ser no pior. Levantei-me da poltrona e caminhei em um direção qualquer encarando o chão. As pessoas estavam desesperadas por alguma resposta, nós não estávamos diferente. Rezava para que nada houvesse acontecido com Angel ou com o bebê.
Havia uma lanchonete perto da recepção. Haviam algumas pessoas lá, inclusive os internados. Caminhei até a lanchonete e pedi dois cafés. Esperei um pouco e a graciosa senhora entregou meu pedido. Paguei e deixei a lanchonete. Andar sobre o corredor vazio e claro me fez sentir angústia, queria uma resposta. Tyler continuava preocupado andando de um lado para o outro, nem deve ter notado que sai.
Eu: Senhor, – Tyler me notou – eu trouxe um café – entreguei o café a ele.
Tyler: Obrigado – pegou o café.
Eu: Eles falaram alguma coisa?
Tyler: Não, nada! – reprimiu-se.
Respirei fundo e sentei na poltrona novamente. O cheiro forte do café me fez despertar, tomei um gole daquele líquido quente e voltei a atenção ao corredor. Jess desistiu de pedir alguma informação e voltou às cadeiras, mas desta vez ela chorava mais.
Tyler: Eles falaram alguma coisa? – perguntou preocupado.

Jess: Eles fizeram uma curetagem – disse entre soluços.
Meu coração congelou, por pouco meu café não caía no chão. Estava perplexo, senti uma lágrima molhar a minha bochecha e em seguida outra.
Eu: Eu preciso ver ela – levantei-me da poltrona e corri até o corredor ignorando os gritos de Jess e Tyler.
Corria pelo corredor, segui algumas placas que me mandavam para a direita. Subi algumas rampas até chegar em uma ala repletas de cortinas e médicos. De longe avistei Angel em uma maca apagada com uma roupa de hospital. Corri o máximo que pude.
Eu: Angel! – gritei.
Alguns médicos notaram a minha presença e alertaram um segurança. Os enfermeiros correram até mim e seguraram meus braços me impedindo de tocar-lá. Eu queria ver meus olhos brilhantes novamente, sentir seu toque e saber que tudo estava bem. Eu consegui ver seu rosto, havia alguns arranhões. Senti raiva da pessoa que fez isso com a minha garota e pensar no bebê que se foi me fez ficar vermelho de tanta raiva. Me debatia nos braços dos enfermeiros que tentava me segurar. Eles pediam calma, mas eu não conseguia sentir calma, sentia ódio e tristeza. Meus sentimentos estavam misturados, me sentia fraco. Parei de tentar lutar contra eles. Ao ver Angel frágil e machucada meu coração se partia. Sentia o gosto salgado das lágrimas. Caí no chão, estava tão fraco que a tristeza me pegou desarmado.
Os enfermeiros me ajudaram a levantar, mas eu queria ficar ali ajoelhado observando a mulher dos meus sonhos. Eles me levantaram e me levaram de volta para a recepção. Jess e Tyler estavam preocupados, eu me sentia solitário, queria ver Angel correndo pelo corredor direto para os meus braços. Tudo aconteceu rápido demais, eu estava prestes a viver feliz, era só isso o que eu pedia.
[...]
– Narrador P.O.V's
Jess acariciava os cabelos de Niall enquanto Tyler falava com um doutor. Niall havia adormecido a pouco tempo, ele se sentia cansado e fraco, precisava saber de alguma coisa sobre Angel. Jess pensava em seu neto, nem teve a oportunidade de chorar ao ouvir os batimentos do coração do pequenino. Ela queria saber quem havia feito aquilo com a sua filha, queria que esta pessoa pagasse pelo que fez.
Tyler voltou a encontro de sua esposa. Sentou-se ao seu lado e encarou o chão.
Jess: O que eles falaram?
Tyler: Ela sofreu um aborto – disse cabisbaixo, Tyler respirou fundo e passou a mão no rosto – Ela vai ficar bem, quebrou o braço esquerdo.
Jess: Não ela não vai ficar bem. Eles não vão ficar bem – deu ênfase no eles.
Tyler: O doutor disse que ela pode acordar amanhã sem se lembrar de muitas coisas. Ela bateu a cabeça com muita força, foi um milagre não ter sofrido traumatismo ou algo do tipo – limpou uma lágrima que percorria a região do seu nariz.
Jess: Tomara que não seja por muito tempo.
Tyler e Jess ficaram em silêncio até uma enfermeira aparecer na sala. Os dois ficaram alerta.
Enfermeira: O Dr. Palms disse que você podem descanar, ligaremos para o telefone residência de vocês.
Tyler suspirou, não queria deixar sua filha sozinha.
Tyler: Querida, pode levar o Niall? Acho que ficarei aqui até ela acordar.
Jess: Enfermeira, obrigada pela informação, mas esperaremos aqui.
Tyler: Não pode ficar aqui por tanto tempo.
Jess: Eu preciso saber como ela está Tyler!
Enfermeira: Claro, informarei se acontecer algo.
Jess: Obrigada – disse e a enfermeira deixou a sala de espera.
Tyler encarou Jess, a mesma não deu importância, iria ficar ali até a saber que estava tudo bem com a sua filha.
[...]
Já passava das três da manhã. A sala de espera estava silenciosa, apenas algumas pessoas estavam acordadas, entre elas Niall. Tyler e Jess dormiam nas poltronas enquanto ele encarava a televisão, um programa de humor passava na mesma, mas ele não conseguia sorrir com nada.
Uma pessoa adentrou na sala, uma enfermeira veio avisar a uma das pessoas que o paciente acabara de acordar. Eles ficaram felizes e seguiram a enfermeira, Niall levantou-se e caminhou até a enfermeira.
Niall: Ah...Com licença – a enfermeira virou-se – Eu poderia ver uma paciente?
Enfermeira: Nome?
Niall: Angelina Gray.
Enfermeira: Essa paciente ainda não acordou, mas você pode fazer uma visita rápida. – um sorriso pequeno apareceu no rosto de Niall – Venha.
Niall seguiu a enfermeira até um corredor grande e claro. A enfermeira caminhou até o quarto de número 185 . Ao abrir a porta vagarosamente os olhos de Niall foram diretamente a Angel, ela estava dormindo como um anjo, seus cabelos caídos pelos ombros do jeito como gostava e um aparelho respiratório em meio a sua boca e nariz.
Enfermeira: Tem cinco minutos – alertou e fechou a porta.
Niall caminhou até a cama onde Angel estava, ajoelhou-se para ter uma visão melhor da garota e aproximou seu rosto ao dela.
Niall: Vai ficar tudo bem, você vai acordar e vamos atrás do nosso final feliz. Eu queria que você me perdoasse por todas aquelas coisas que fiz, se não houvesse feito você chorar, quem sabe nem estaríamos aqui – Niall estava estudando os pequenos traços do rosto de Angel – Você é uma pessoa inacreditável, eu estive apaixonado por tanto tempo que nem percebi o mal que poderia fazer com você. Eu quero viver o resto da minha vida ao seu lado, eu sei que já disse isso tantas outras vezes, mas eu só queria que você soubesse o tanto que sou apaixonado por você, sou louco por você, eu te amo! – sentiu a lágrima molhar seu rosto.
Angel continuava sem se mover. A maquina fazia um barulho estranho que respiração artificial e Niall continuava chorando.
Ele foi surpreendido pela porta abrindo.
Enfermeira: Está na hora, querido – aquela palavra foi tão difícil para Niall.
Ele se levantou do chão e deu um beijo na testa de Angel. Antes de deixar o quarto encarou a garota por alguns minutos e saiu.

3 comentários :

Aninha disse... Responder

Minina se deveria ser presa por me deixar curiosa para oq vai acontecer no proximo cap . Vc deveria ser escritora amo cada capitulo q vc posta me inspiro em vc n sei gosto mt de vc sem saber tipo da onde vc tira toda a sua imaginação e como cc escreve bem to ansiosa pelo proximo capitulo . ♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥

Elisamara Costa disse... Responder

Ta perfeita continua.. please

Joyce Rayane Dos Santos Silva disse... Responder

Aaaaaaaaaaaaah que perfeito Continuaaaaaaa ♥ ♥

Postar um comentário