Truly, Madly, Deeply Capitulo 65 - Espero por este dia


Enquanto os pais de Angel insistiam em chama-la para o jantar, a garota estava bem entretida em seu quarto. Ela comia o mesmo pote com cobertura, estava lendo um texto qualquer de um livro qualquer, enquanto tentava lembrar da noite em que ficou 'bêbada'. Dos poucos flashes que tinha, ela não conseguia descobrir se era real ou apenas um tipo de 'visão', parecia perfeita demais.
Jess: Angel, venha comer, eu trouxe salmão com geléia de uva – bateu pela milésima vez, Angel fez uma cara nada boa e ignorou a mãe – Angel, você precisa se alimentar! – bateu um pouco mais forte
Angel: Não estou com fome – gritou
Jess: E por que esta comendo um pote de cobertura?!
Angel: Por que é gostoso – disse, como se fosse óbvio
Jess: Saia dai agora ou... – Angel parou de comer como se estivesse esperando pela continuação de sua mãe – senão...
Angel: Se não...?
Jess: Vamos filha por favor! – implorou, Angel revirou os olhos e saiu do quarto, sua mãe deu um sorriso vitorioso e abraçou a filha. " Como se isso fosse algo de total importância" – pensou Angel.
As duas desceram de encontro Tyler, que estava sentado no sofá enquanto assistia o mesmo jogo de basquete. Jess entregou uma embrulho para Angel: a comida chinesa, ela nada disse, apenas pegou juntou-se ao seu pai.
Tyler: Ainda não terminamos o assunto 'Niall' – sussurrou
Angel revirou os olhos
Angel: Engraçado como desejaram que alguém viesse aqui e conversasse comigo, e agora estão com esse lenga-lenga
Jess: Se esse não é aquele garoto, quem é ele? – sentou ao lado de Angel
Angel suspirou e iria responder, mas Tyler falou antes.
Tyler: Que garoto?
Jess: O Niall
Tyler: O Niall é o garoto que...?


Angel: Sim mãe, é ele – disse cabisbaixa
Tyler: Ele é o que?
Jess: Eu não acredito!
Tyler: O que? Me expliquem isso direito?
Jess: Lembra de quando a sua filha sumiu e voltou no dia seguinte? – Tyler assentiu – Isso tudo foi por causa desse garoto!
Tyler: Por que você...O que ele fez?
Angel: Eu só queria...pensar, esvaziar a mente – mexeu no comida
Jess: Vocês eram namorados? – Tyler ajeitou-se no sofá para esperar a resposta da filha
Angel: –suspirou– Sim
Tyler: Você tinha um namorado e não contou para seus próprios pais?
Angel: Eu ia contar, mas...
Jess: Mas não contou, preferiu esconder
Angel: Eu não escondi, é que eu...estava tão confusa que não sabia se era verdade ou mentira
Jess: Como assim não sabia se era verdade ou mentira?
Angel: Isso sempre foi confuso, ele mentia pra mim, então eu decidi me afastar dele – Angel preferiu não contar tudo o que sabe, para alguém que quer evitar perguntas este seria o pior assunto para ser continuado.
Tyler: E agora você voltaram?
Angel encarou o nada enquanto tentava achar alguma resposta, ela estava perdida em meio a tantos desvendeis, mas respondeu:
Angel: Eu bem que queria, mas não
Jess: Por que não?
Parece que todas as perguntas que as crianças fazem quando são crianças são repetidas em masa pelos pais quando crescem.
Angel: Por que não, somos amigos
Tyler: Eu quero conhecer esse rapaz
Angel: Pai você esta muito atrasado, garanto: somos apenas amigos agora – disse confiante
Jess: Promete que quando achar a pessoa certa, dirá para nos – Angel assentiu rapidamente.
Jess e Tyler sorriram e continuaram comendo, Angel não estava com fome, como dissera antes.
Tyler: Cesta de três! – gritou, fazendo Angel e Jess se assustarem.
Jess: Tira desse jogo, vai começar o meu filme!
Tyler: Não, está passando o basquete!
Angel riu ao ver seus pais brigando por um motivo tão parecido com o a briga dele e Niall. Ela resolveu deixar os dois debatendo na sala, deixou o pacote em cima da mesa e subi as escadas, sem que ninguém sentisse sua falta.
Amanhã será um dia longo, ela estava começando a sentir falta das tarefas de casa. Angel tomou um banho calmo e demorado, prendeu seu cabelo e deixou a água passear livremente pelo seu corpo. Assim que terminou arrumou a pia que havia 'bagunçado' com Niall e vestiu-se uma roupa confortável. Angel estava cansada, de uma hora pra outra ficou desse jeito, não conseguia entender, apenas jogou-se na cama e dormiu em questão de minutos
[...]
— Hora de acordar! – foi com esse grito que Angel começou o dia.
Assim que conseguiu abrir seus olhos pode ver sua mãe com um roupão e uma xícara de café, ela coçou a cabeça e perguntou:
Angel: A senhora não deveria estar no trabalho?
Jess: Recebemos férias remuneradas – bebeu um gole de café
Angel: Que tipo de chefe é este?
Jess: Se quiser podemos ficar longue do seu caminho, querida filha – disse irônica
Angel: Ele deve amar vocês – levantou-se da cama
Jess: Não recebemos férias remuneradas, recebemos dever de casa, ele pediu que arrumemos alguns papéis em ordem crescente, depois teremos que levar para Liverpool
Angel: Outra viagem?
Jess: Desta vez você vai junto
Angel: Ah não obrigada
Jess: Você ira e ponto final – com isso Jess saiu do quarto deixando Angel intrigada.
O dia continuava como todos os outros: frio e escuro, parece que Londres vive debaixo de uma nuvem que não consegue se mover, não é a toa que as pessoas saem desesperadas para rua quando o Sol aparece. Angel separou suas roupas e colocou-as em cima da cama. Tomou um banho rápido e em vinte minutos já estava pronta. Assim que desceu encontrou seu pai lendo jornal e sua mãe comendo um cookie.
Angel: Boa dia a todos – sentou na mesa e começou a servi-se com os bolinhos
Tyler: Bom dia filha
Jess: Tyler, eu estava conversando com a nossa filha sobre a futura viagem – arrumou a xícara de café
Tyler: Já contou-a que ela irá junto?
Angel: Eu não quero ir – protestou
Tyler: Você terá que ir
Jess: Terá e irá
Angel: Por que? Não tenho nada haver com os seus negócios
Tyler: Você não ficara aqui sozinha por uma semana!
Angel: Não confia em mim querido pai?
Jess: Não é questão de confiança...
Tyler: É questão de segurança, não assisti os jornais?
Angel: Eu não quero ir pra...sei lá pra onde
Jess: Liverpool
Angel: Não importa, eu não quero ir
Tyler: Você irá e ponto final
Angel: E a escola?
Jess: Informaremos antes de viajarmos
Angel: Oh por favor! – choramingou
Tyler: Você vai se atrasar para a escola – Angel suspirou – Deixa que eu te levo
Angel: O que aconteceu? – perguntou assustada com a atitude de seu pai
Tyler: Nada por que?
Angel: Qual foi a ultima vez que você me levou para a escola?
Tyler: A muito tempo atrás...
Angel: Sujou pro meu lado? – perguntou sorrindo
Tyler: Vamos – levantou-se da mesa – Espere apenas alguns minutos, vou vestir uma roupa descente – correu até as escadas
Angel: Você 'tá lindo de chinelo azul e roupão – gritou fazendo Jess sorrir.
Depois de alguns minutos Tyler desceu as escadas pronto, ele estava com uma camisa xadrez, uma calça jeans escura e um tênis.
Tyler: Vamos
Angel: Pai, você 'tá parecendo os garotos da minha escola – segurou o riso
Jess: Por que tão arrumado assim? Você vai sair com alguém? – cruzou os braços
Tyler: É, eu vou sair com a diretora da Angel, nos vamos para Paris viver felizes para sempre – disse irônico
Jess: É melhor ir logo
Tyler: Você sabe que eu nunca trairia você – beijou Jess, pra Angel isso era fofo, mas para um pessoa que esta atrasada não é nada conveniente
Angel: –piragelou– Desculpe, mas, preciso ir para escola – com isso Tyler parou de beijar Jess, que riu
Tyler: Vamos lá little Gray – dessarumou o cabelo de Angel
Angel: Pai a quanto tempo você não me chama de little Gray?! – arrumou o seu cabelo
Tyler: Há muito tempo – abriu a porta e Angel saiu, assim como ele minutos depois
Tyler apertou o botão e o carro fez o famoso 'bip', os dois entraram e ele deu a partida. Angel colocou o cinto e ligou a rádio.
Tyler: Então...quer falar sobre o Niel? – perguntou sem tirar os olhos do volante, Angel revirou os olhos
Angel: É Niall e não, não quero falar sobre ele
Tyler: Mas ele é seu namorado
Angel: Ele não é meu namorado
Tyler: Vocês eram
Angel: Eramos
Tyler: E por que terminou com ele?
Angel: Por vários motivos – mumurrou
Tyler: Você tem que contar o que aconteceu, assim irei saber se devo dar um corretivo nesse garoto ou deixar ele em paz – Angel sorriu
Angel: Não se preocupe ele não fez nada demais e além disso tenho certeza que dou conta dele – sorriu
Tyler sorriu e continuou a dirigir.
A escola parece ficar mais perto quando se esta de carro, pois em minutos Angel chegou acompanhada de seu pai.
Angel: Obrigada pela carona pai – deu-lhe um beijo em sua bochecha
Tyler: Eu venho buscar-te
Angel: Não é preciso
Tyler: Estou afirmando: Venho lhe buscar – disse e fechou a porta do carro.
Angel ficou parada observando o carro de seu pai dobrar a esquina, assim que o carro dobrou ela virou e encarou a faixada da escola pouco movimentada. Era incrível como há anos atrás a escola era o lugar favorito de Angel, agora é apenas um peso, quem sabe. A garota entrou pela enorme porta cumprimentando o zelador, subiu alguns degraus e foi até a sala de número 34, essa era a sala de química, nas horas vagas a sala de descanço dos funcionários. Assim que Angel abriu a porta, todos os olhares voltaram-se a ela, mas assim que os alunos perceberam que era apenas uma aluna atrasada voltaram às suas atividades; todos menos Niall. Ele estava sentado no fundo, como de costume. Ele observava-a com um sorriso torto, Angel puxou uma das cadeiras do meio e ali sentou-se, perto de uma garota com cabelos loiros e óculos de graus.
O professor pediu para que todos abrissem seus livros na página cento e dois, todos fizeram o que ele pediu e assim por fim começou a aula.

Angel P.O.V’s

Depois de duas aulas eu poderia me render totalmente ao sono. Parece que não durmo a anos, séculos. Ainda não obtive nenhum sinal de Grace, Zayn, Harry ou Liam, mas ainda esta muito cedo, posso encontra-los a qualquer hora. Peguei meus livros e fui para próxima aula: sala 23 aula de espanhol. Suspirei fundo, odeio espanhol, na verdade odeio a professora, ela não nos explica direito e fica falando espanhol a aula toda, alguns alunos(nerds) falaram que ela xinga todos os alunos em espanhol quando nem desconfiamos. A pior coisa é que a aula é sempre uma bagunça, ela não consegue controlar os alunos e ninguém faz nada, eu não entendo a explicação e tampouco a esculto.
A sala estava como eu imaginava: uma bagunça, bolas de papéis pelo ar, alunos gritando e quando você prensa que não tem nenhum adulto ver a professora gritando por silêncio. Sorri ao ver a cena e sentei em uma mesa qualquer.
Niall: O que podemos fazer pra amenizar essa bagunça? – puxou uma cadeira e sentou-se ao meu lado
Eu: Não tem muitas soluções
Niall: Talvez suspender todos não soa tão mal – sorri
Eu: Bem que eu adoraria ser suspensa da aula de Espanhol – suspirei
Um, dois, três e...Bum, ficamos sem assunto, na verdade assunto tinha, porém o silêncio é uma das coisas que mais precisamos nesta classe e/ou escola. Depois da discussão da professora e do aluno, todos começaram a rir, eu poderia parecer chata, mas aquilo estava me irritando. Niall me cutucou e fez um sinal para porta, eu balancei a cabeça negativamente, sabia o que ele queria fazer e mesmo não prestando atenção em nada, não iria abandonar a aula.
Eu: Não, nem pense nisso
Niall: Vamos, vai ser legal
Eu: Você sabe o que pode acontecer Niall, melhor ficarmos aqui
Niall: Se a diretora aparecer falamos o que houve
Eu: Falaremos que saímos da aula por que não estávamos prestando atenção?
Niall: Você disse falaremos, isso foi um sim?
Eu: Talvez – sorri
Niall: Então vamos logo, eu quero te mostrar um lugar – pegou a minha mão
Eu: Como vamos sair?
Niall: Ela não vai perceber 'tá ocupada brigando com os alunos – apontou para a cena hilária
Eu: Se eu me queimar...
Niall: Eu me queimo com você – deu-me um beijo na bochecha
Niall levantou-se e em seguida eu fiz o mesmo, acho que eramos os únicos sentados – tirando alguns 'inteligentes' –, ele abriu a porta e me puxou para fora. O corredor estava vazio, certamente não estaria cheio em horário de aula.
Eu: Niall, pra onde você vai? – segui-o
Niall: Nos vamos pra cantina
Eu: Cantina? – questionei
Niall: Sim, eu estou com fome – revirei os olhos
Eu: Conta outra novidade – sorri
Niall: Hum, por que isso?
Eu: Niall, você vive comendo, não sei como não engorda
Niall: Eu não vivo comendo – gargalhei, isso parece uma ironia
Eu: Claro que não, só de cinco em cinco minutos!
Niall: Você não pode fala nada
Eu: Eu não como como você!
Niall: Tem certeza, é pior
Eu: Não é não!
Niall: Ontem mesmo você comeu um pote de cobertura de chocolate
Eu: Foi só isso
Niall: Garanto que depois devorou o bolo da cobertura
Eu: Bolo da cobertura – cerrei os olhos e Niall gargalhou
Niall: O que podemos fazer, somos feitos um para o outro, até pela fome
Eu: Niall você é maluco
Niall: Eu estou mentindo?
Eu: Sim
Niall: Onde?
Eu: No 'somos feitos um para o outro'
Niall: Tudo poderia estar errado, menos esta parte
Eu: Pra mim esse foi o maior erro
Niall: Eu fui um erro na sua vida? – parou de andar
Eu: Ainda não sei responder a isso – parei na sua frente
Niall: É simples, responda sim ou não
Eu: È complicado responder isso...
Niall: Matemática é complicada, comer tacos é complicado, escolher doce é complicado, responder uma pergunta não é complicado
Eu: Escolher doce não é complicado
Niall: Então finja que um mentos é o sim e um pirulito o não, qual escolhe?
Eu: Nenhum dos dois
Niall: Parece que temos um dilema
Eu: Minha vida é um dilema
Niall: Então é melhor achar as suas respostas
Eu: Eu pensei que você poderia me ajudar
Niall: Como posso ajudar se eu sou um dos dilemas?
Eu: Mude suas atitudes, assim eu escolho mentos
Niall: Eu mudei minhas atitudes
Eu: Mudou pra pior
Niall: Eu me tornei mais afetivo
Eu: Em compensação mais mentiroso
Niall: Eu não menti pra você, escondi o que havia acontecido
Eu: Tanto faz, você mentiu pra mim, me fez de idiota
Niall: Por que te fiz de idiota
Eu: Não tenho que lhe dar explicações por uma coisa que você sabe bem
Niall: Eu juro que vou fazer você feliz
Eu: Eu espero por esse dia
Niall: E ele chegara – aproximou-se de mim
Eu: Quando? – sussurrei
Niall: Logo – sussurrou enquanto colocava uma mecha do meu cabelo para trás da orelha
Eu: Estou esperando – beijei sua bochecha e voltei a andar, em direção oposta.
Dei alguns pulinhos e corri até o banheiro feminino, onde pude passar metade do horário chorando em paz. Eu não queria isso, não queria ser a outra. Eu amo Niall, faria qualquer coisa por ele, mas este cargo não meresse respeito. Ela deve me odiar, mas não quanto eu a odeio, mas a pedra aqui sou eu, eu fiz esta confusão, a culpa é minha mesmo, deveria ter resistido ao irlandês, ao seu sotaque e seus olhos azuis irresistiveis, deveria ter sido forte, mas esta é uma das coisas que fogem de mim assim que tem a oportunidade. Eu sempre serei idiota, assim como sempre cederei aos seus encantos.

4 comentários :

Anônimo disse... Responder

Continuaa ta perfeito!!! :)

Clara Tomlinson disse... Responder

Todo capitulo e perfeito *-* ah continua eu amo essa fanfic

Joyce Rayane Dos Santos Silva disse... Responder

Continua to amando esta fic ♥♥

Anônimo disse... Responder

Perfeito, os pais da Angel ♥
Se li bem, ELA NÃO TOMOU O REMÉDIO, ai vem um Niallzinho \o/
Continuaaa

Postar um comentário